quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

TIRANDO CARRAPICHOS!!

Estive tirando meus carrapichos!
Mas que carrapichos grudentos!

Na verdade estava sem net, mas aproveitei para rever algumas coisas, inclusive televisão!
E ví a guerra no Rio de Janeiro!
É importante se perguntar porque as autoridades ainda não tinham resolvido acabar com o tráfico?!

Só agora é que resolveram mostrar que são capazes?!
Ou será que agora tem outros interesses mais vantajosos?!
Estão de parabéns! Só que agora que começaram, vai ficar muito feio parar!

E nos outros estados por que não fazem o mesmo?!
Porque precisamos conviver com esse tipo de comércio?
Sabemos que esse dinheiro é maldito pois corroi milhares de jovens!
Porque não procuram outra fonte de renda?

Porque o estado não intervem?
Agora sabemos que se quiserem podem resolver.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

.·´¯`·-> A TEORIA DO CARRAPICHO! <-·´¯`·.

         Nos disse João Roberto, vivemos hoje sob stress. Mas, o stress é uma situação de defesa! É um adicional de força, pois enquanto existir ameaça, existirá stress. É uma condição da vida,     da condição humana. É uma resposta do organismo para superação dos obstáculos do dia a dia.

        O que devemos nos perguntar é:  Fazemos pausa entre as situações de stress?

        Mas, o que é pausa?!  Pausa é uma sensação de bem estar pleno.

        Temos realmente pausa?! Se fomos a uma festa, mas não nos sentimos bem,  então não fizemos pausa.
Não valeu como pausa!

         Precisamos nos conhecer, saber o que gostamos. Saber quais são as nossas pausas. Parar de conceder nossas pausas aos outros. Chefe,  família,  filhos,  marido,  amigos,  etc. Ter coragem de assumir nosso querer! Às vezes precisamos ficar a sós conosco. Para aprender a nos olhar! E não é egoismo! É fundamental que cuidemos de nós.

          A sociedade comete o equívoco em não considerar bom quem cuida de si, quem se ama! E valoriza quem se doa! Que se dá demais,  esquece de sí! Quem se doa demais, termina ressentido, pois um dia se percebe perdedor,  fica amargurado e começa a dar junto com a doação, também a sua amargura. Vai estragando a relação, minando pouco a pouco.  Aí o outro cansa de doação amarga e se vai.

         Um belo dia se rebela,  diz a você:  Você está muito chata!  (Ou chato! )  Cansei,  fui!

         Resta a dor, que é imensa! Porém, a dor é importante quando o vínculo se vai,  pois promove a compreensão de que o mais importante que temos a oferecer, é nós mesmos, só que resolvidos. Alegres, felizes!   Sem carrapichos!

          Mas, o que são mesmo os carrapichos?!  Disse ele: São as mágoas, os ressentimentos, as raivas, ciumes, as perdas que voce vai se apegando ou pegando dos carrapichados com quem vai convivendo, durante sua infância, juventude,  vida à fora! A vida tem Ipê Amarelo que é lindo! Mas também tem carrapichos que grudam e espinham!  Na estrada da vida tem muitos carrapichos! ...       Tem mãe carrapicho, marido, filho, chefe, professora e tia carrapichos!

          Uma professora pode ser um grande Ipê Amarelo ou um grande carrapicho na vida de uma criança!


         Mas,  tem tempo de pegar carrapicho e tempo de tirar carrapichos! O que não podemos é levar os carrapichos para o túmulo! Os carrapichos podem ser tirados! Eles não são intrínsecos à sua alma! É bom demais tirá-los!    É como nascer de novo!      Você deve parar para tirar os carrapichos da sua alma!

          Depois de retirá-los (os carrapichos),  pergunte para quem está ao seu lado:  Filho ou  marido. Como foi o seu dia?! Como você está? Não se iluda, vai assustar um pouco! Se ouvir: Mãe o que houve? você está doente? 

         Não desista!  Aposte nas relações, no diálogo verdadeiro, pois na vida não precisamos conversar somente para tomarmos decisão. Mas, também para saber como está o outro,  partilhar realmente a  vida, e parar quantas vezes for preciso para retirar os carrapichos! 

         Essas orientações nos foram doadas pelo Orientador do Programa Educação para a Paz, o Psicólogo João Roberto de Araújo, em palestra na Usina de Arte, em 19/10/2010, promovida pela Secretaria Municipal de Educação de Rio Branco (SEME). Com certeza não esquecerei jamais e repasso a você leitor e aos amigos,  a importante Teoria do Carrapicho!

 Obrigada João! Valeu mesmo!
www.dado.pag.zip.net

terça-feira, 12 de outubro de 2010

DIA DA CRIANÇA , COM MAIS DIREITOS!

 VIOLÊNCIA DOMÉSTICA


         Encerrou ontem nossa Formação Continuada na Escola sobre Violência Doméstica. Foram quatro dias de estudos sobre o tema. Três Assistentes Sociais e dois Assessores do Ministério Público formaram a equipe que orienta as escolas sobre as modificações na lei que rege os crimes de violência doméstica no país.
        Assuntos como violência sexual na família, disciplina física abusiva, tortura psicológica, e crime sexual com menores, entre outros, foram abordados. A formação foi solicitada pela escola ao setor de Saúde na Escola, da SEME. As mudanças da Lei aprovadas em Agosto de 2009, devem ser conhecidas e divulgadas para a sociedade. Nossa escola pretende fazer formação para os pais dos alunos sobre esse importante assunto ainda este ano.
VEJAMOS AS NOVIDADES:
        Relação sexual, consentida ou não, com menores de 14 anos agora é crime de natureza pública, é considerado estupro e crime inafiançável, com pena de reclusão de 8 a 15 anos.

        O menor de idade pode cumprir medida educativa por crime de estupro mesmo que o ato sexual tenha sido consentido pela vítima.

        Satisfação sexual mediante presença de crianças ou adolescentes também é considerado crime grave.

       Antes, a lei tratava somente de mulheres que sofriam estupro, agora é abrangente, a nova lei diz: Constranger alguém a praticar ato libidinoso, com ato carnal ou não, mesmo na internet, constitui crime.

      Todos esses crimes são incondicionados a representação, ou seja qualquer pessoa pode denunciar e ainda não depende da vítima ou da família querer ou não.

     O ato ou omissão de cuidados, praticado por um adulto, contra menor de idade, caracteriza-se como violência doméstica.
     É que crianças muitas vezes são tratadas como objetos pela pessoa que cuida e que deveria protegê-la. A mudança na lei é a tentativa de romper com o complô do silêncio que vitimiza milhares de crianças, muitas vezes violentadas dentro de sua própra casa. São vários os tipos de violência: sexual, física, psicológica e a negligência.
     A palmada, antes muito utilizada, agora é vista como violência doméstica porque segundo a psicologia, não educa. O que educa é o diálogo , a afetividade e a segurança do amor familiar. Educar dá muito trabalho! É preciso impor limites com persistência e sobretudo paciência!
     E atenção: O fato de não levar a criança à escola (muitas faltas), não levar ao médico quando doente, descuidos com os hábitos de higiene da criança, caracteriza-se como negligência familiar e pode ser denunciado!
    O Secretário da Promotoria, Dr. Marcelo Augusto, enfatizou: "A escola tem a função de atendimento, isto é, de proteger seus estudantes contra qualquer violação de seus direitos."
    O ECA, Estatuto da Criança e do Adolescente define o que se chama sistema de garantia de direitos Da Infância e da Juventude.

    O Conselho Tutelar é a Instituição que recebe as denúncias de negligência e violência.

   Nossos agradecimentos à equipe formadora: Hilzanete Carrilho R. Villar (Assistente Social do DAE), Ângela Mª F. Fontes (Assistente Social / DAE), Regina Cláudia Castro Cavalcante (Assist. Social / DAE), Marcelo Augusto A. Freire, Secretário da Promotoria de Violência Doméstica, Igor Ignácio Dias Lins, Assessor Técnico - Jurídico da Promotoria de Violência Doméstica e Familiar contra a mulher.






















terça-feira, 14 de setembro de 2010

CUSCO - VALE SAGRADO DOS INCAS - MEMÓRIA DE SACRIFÍCIOS

         Não tem como não impressionar-se ao visitar o Peru e ver de perto o Vale Sagrado dos Incas.  Rara beleza  e mistério. Memória de sacrifícios de vidas humanas. Uma arquitetura impressionante. Ruinas inquietantes. Foi assim que vi  Cusco e seu Vale Sagrado.



Vale Sagrado dos Incas

         Cusco,  lugar de extrema magia, um explendor nas montanhas. A presença das cordilheiras dos Andes, explica o clima e a beleza da paisagem do lugar. Os primeiros homens que habitaram o Peru, trouxeram com certeza muitos conhecimentos, revolucionaram  grupos culturais e estabeleceram uma das mais importantes civilizações antigas, o povo inca. Desvastados pelos espanhóis, os incas deixaram um legado de cultura, muito vivo e ainda presente nos dias de hoje em Cusco.






Acervo cultural de Cusco
 
          A cidade vive completamente de turismo e do comércio, a Cultura Inca é celebrada e compartilhada com os turistas como a água de beber, misturada a cultura dos espanhóis com seu catolicismo presente nos  ricos monumentos religiosos de imagens folheadas a ouro  e  monumentos históricos culturais.



clique na foto para ver em tamanho maior

          Me impressionou também a conservação do patrimônio natural  das terras  peruanas, suas florestas intactas nos desfiladeiros das montanhas, alta conservação da diversidade ecológica. Uma terra muito verde contrastando com as águas e suas pedras. As cordilheiras dos Andes uma visão espetacular!

Montanhas de Cusco


           Vale ressaltar ainda o contraste fino da cidade,  com seu povo ainda primitivo, pois  suas comunidades ainda convivem em harmonia com  a natureza,  a  periferia da cidade  de Cusco, vive  de plantar, criar ilhamas e fazer artesanato cultural que vendem nas cidades e nas feiras para os turistas. O chá da coca é servido em xícaras de porcelanas nos hotéis e cafés chiques da cidade,  para melhorar a digestão e o torpor dos turistas  que passam mal devido a altitude do local. Afinal,  a cidade fica em local muito alto, em alguns lugares chega a ser mais de quatro mil metros acima do nível do mar.



Hotel de Cusco
 

Igreja Católica













Chá da Coca servido em hotel de Cusco

               Mas para chegar ao território peruano por terra, será necessário enfrentar alguns perigos. Transpor as Cordilheiras dos Andes não é tão fácil assim, são imensos desfiladeiros e  abismos. Uma estrada cheia de curvas fechadíssimas. Sem contar o intenso mal estar que nos abate durantes muitas horas de viagem no ônibus que não é de primeira linha, (depois que entramos nas terras do Peru). Quem estiver disposto a correr o risco, prepare-se para a aventura.


              Para o nosso grupo que foi e voltou ileso. Valeu a pena!  

                                                                                     Bjokas no coração!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

A ESPERA CONTINUA NOS SOLDADOS E EM SEUS FILHOS...

 E A LONGA  ESPERA CONTINUA...


         Importei este texto do site: http://www.noticias.uol.com.br/ e justifico:

         Meu velho pai, hoje com oitenta anos e filho de um Soldado da Borracha, também vive e contava essa mesma história de espera. Digo contava...  por quê depois que teve um câncer nas cordas vocais perdeu a voz. Ele foi vítima dessa política mentirosa,  que trouxe centenas de nordestinos  à   Amazônia.Veio para o Acre ainda criança, ficou orfão de pai nas matas da Amazônia. Sozinho com sua mãe aos nove anos de idade, sofreu privações,  foi picado por cobras, teve várias malárias, adquiriu outras doenças graves e nunca mais viu seus parentes do nordeste. O desenrolar dessa história de  mentiras, promessas e  exploração pertence a muita gente de nossa terra. Eis o texto da UOL:


10/08/2010 - 06h44


'Soldados da borracha' ainda lutam por compensação na Amazônia brasileira
Na Amazônia brasileira, um grupo esquecido de trabalhadores que se alistou para ajudar os aliados na Segunda Guerra Mundial ainda sonha em voltar para as casas que deixaram ainda na adolescência.
São os chamados "soldados da borracha", enviados para trabalhar como seringueiros na floresta e ajudar na produção da borracha necessária no esforço de guerra.
Hoje octogenários, eles ainda esperam o desfecho de uma batalha legal que pode finalmente trazer a eles o reconhecimento e a compensação que tinham sido prometidos há 67 anos.
Em 1943, enquanto os Estados Unidos, a Grã-Bretanha e seus aliados estavam lutando nos campos de batalha na Europa, no Norte da África e no Oriente, milhares de brasileiros empobrecidos eram convocados para cumprir com seu dever patriótico.
'Heróis' Manuel Pereira de Araújo lembra o dia que mudaria sua vida para sempre ao se juntar aos "soldados da borracha".
"Um oficial do Exército chegou à minha cidade e nos disse que podíamos nos juntar à luta na frente de batalha na Itália ou ir para a Amazônia. Ele disse que nos tornaríamos heróis na batalha da borracha e ficaríamos ricos extraindo látex", disse.
O esforço de recrutamento era parte de um acordo firmado entre o Brasil e os Estados Unidos.
Com o principal produtor mundial de borracha da época, a Malásia, sob ocupação japonesa, e a borracha sintética não disponível na escala necessária para suprir os esforços de guerra, os Estados Unidos precisavam de uma fonte confiável de borracha.
Os Acordos de Washington previam que o Brasil supriria todo o látex que pudesse produzir em troca de US$ 2 milhões (cerca de US$ 25 milhões, ou R$ 44 milhões, a preços de hoje) dos Estados Unidos.
Nordeste O governo brasileiro centrou sua campanha de recrutamento no nordeste, entre a população pobre que sobrevivia com produção agrícola de subsistência em terras áridas.
"Era uma vida de pobreza. Não havia dinheiro ou trabalho para nós lá. Nós comíamos somente feijão e mandioca, e as colheitas eram tão pobres que muitas vezes passávamos fome", conta Claudionor Ferreira Lima, presidente do Sindicato dos Soldados da Borracha de Porto Velho.
"Eu deixei minha noiva para trás, achando que ficaria rico e voltaria em dois anos para começar uma família. Até onde eu sei, ela ainda está esperando", diz.
Cerca de 55 mil pessoas, em sua maioria homens jovens, se alistaram, mas muitos deles nunca mais viram suas famílias ou suas casas.
Inferno Ferreira Lima lembra o momento em que desembarcou na verde e exuberante floresta amazônica, após uma viagem de vários meses por caminhão e barco.
"Pensávamos que tínhamos chegado ao paraíso, mas em vez da glória encontramos o inferno", diz.
"Era escravidão", afirma Antonio Barbosa da Silva, outro soldado da borracha. "Não havia salário, e se você não produzisse não comia", diz.
"Tirávamos a borracha e trocávamos por comida e por outros bens na loja do seringal", relata.
Cabanas As promessas do governo de assistência médica, acomodação e alimentação não se cumpriram.
"Eles nos deram somente dois pares de calças, então quando uma estava suja eu usava a outra. Não havia onde dormir, então tínhamos que construir uma cabana com madeira e folhas de palmeira", conta Manuel Pereira de Araújo.
Sem médicos nem hospitais, milhares de soldados da borracha morreram de malária, hepatite ou febre amarela.
Outros foram atacados por onças e jacarés ou sucumbiram a picadas de cobra.
"Aqueles que tentavam sair recebiam seu pagamento e ouviam que estavam livres para ir. Mas perto dali havia pistoleiros contratados para atirar neles, tomar seu dinheiro e trazer de volta para o patrão", lembra Araújo.
Famílias Em busca de uma vida melhor, muitas famílias dos soldados da borracha também decidiram embarcar nos navios do governo em direção à Amazônia.
Vincenza da Costa tinha só 14 anos quando seu pai decidiu que a família deixaria para trás a seca do Ceará.
"Ele disse para a minha mãe: 'Vamos, Cândida. Plantei minha última semente, e sem chuva há oito dias, ela já morreu'. Mas era minha casa e eu queria ficar. Chorava todo dia", ela conta.
"Nós estávamos com muitas saudades de casa, mas nossa mãe disse: 'Por que vocês estão tão tristes? Pelo menos aqui podemos comer'. Então tentávamos levantar nossos espíritos fazendo músicas", relata.
Rádio José Duarte de Siqueira era apenas um menino quando os soldados da borracha chegaram à sua cidade-natal, no Estado do Acre.
"Havia apenas um bar com um rádio. Escutávamos as transmissões em português da BBC de Londres e passávamos as notícias sobre a guerra para os que viviam nos seringais", conta.
Foi pelo rádio que Araújo descobriu que a guerra havia terminado.
"Foi em 8 de maio de 1945 que eu ouvi as notícias, e estávamos muito felizes porque pensamos que receberíamos nossos pagamentos e poderíamos voltar para casa", diz.
Pensão Mas a prometida remuneração nunca chegou e, sem dinheiro para voltar, a maioria dos homens permaneceu nos seringais.
Após alguns anos, o governo começou a pagar a eles uma pequena pensão.
Hoje cerca de 8.300 soldados da borracha sobreviventes e 6.500 viúvas recebem R$ 1.020 por mês, mas é muito menos do que eles foram levados a acreditar que ganhariam.
Nos escritórios dilapidados do Sindicato dos Soldados da Borracha, Lima está otimista com a possibilidade de um aumento da pensão.
"Eu me tornei presidente do sindicato para lutar por justiça, porque os soldados da borracha merecem coisa melhor", diz.
Políticos simpatizantes da causa nos Estados do Acre, de Rondônia e do Amazonas estão pressionando para que o aumento da pensão ocorra logo.
Em maio deste ano, foi feito um novo pedido de urgência para a aprovação do aumento.
Advogados Uma equipe de advogados também tenta garantir indenizações.
"Meu avô foi um soldado da borracha, e eu cresci ouvindo suas histórias. A contribuição que eles deram e a injustiça contra eles são parte da memória do povo da região amazônica", afirma o advogado Irlan Rogério Erasmo da Silva.
"Estamos pedindo R$ 764 mil para cada soldado da borracha. Não é só sobre o dinheiro que foi mandado pelos Estados Unidos. Estamos também pedindo indenizações pelas violações aos direitos humanos sofridas por eles", diz.
Com a batalha legal em andamento, muitos dos soldados da borracha ainda sonham com a "volta para casa".
"Fiquei esperando todos esses anos para receber meu dinheiro", diz Araújo.
"Quando ele chegar, vou voltar para o nordeste. Meus pais já morreram, mas vou ficar com meus irmãos e minhas irmãs", afirma.
Mas o tempo está se esgotando, e para muitos dos soldados da borracha, já é tarde demais.

domingo, 25 de julho de 2010

"FAZENDEIROS" POR ALGUNS DIAS...

        Andei um pouco sem tempo para escrever. Estava ocupada com um novo e interessante projeto que estou assessorando. Porém, meus leitores de outros estados me cobraram um novo texto. Esse texto é pra você conhecer um pouco da cultura da nossa cidade,  que não é tão diferente do restante  do Brasil. Então aproveitando minhas andanças nesses dias, eis as novas idéias!
        É interessante perceber como a cultura vai se construindo  e desconstruindo na cabeça  das pessoas ao longo do tempo.
 
        Todos daqui sabem que no  nosso Acre, a Expoacre já  faz parte da cultura do povo. Isso se foi construindo na medida em que essa feira foi acontecendo ano a ano. Então,  a partir de um certo tempo a Exposição Agro-pecuária, evento promovido pela elite de Rio Branco,  passou a ser incorporada pelo povão. Você pode achar que falo bobagens! Mas posso argumentar!
        Tenho observado que muita gente da classe popular faz economia durante um certo tempo ou compra à prazo: roupas, botas, chapéus e outros acessórios da Moda Country para desfilar na feira, muitas vezes a um calor de quase 40 graus. Todos se sentem fazendeiros por alguns dias, o tempo de duração da Exposição. O comércio é aquecido durante essa época do ano. A Expoacre 2009, gerou uma renda aproximada  de 23 milhões de reais.
        Lá é exposto à venda, desde cavalos  à cachorro quente (lanche).
       Uns ganham muito dinheiro, outros gastam e se divertem, passeiam, ouvem música, dançam, e assim...  todos são felizes. Todos posam de  "fazendeiros" por alguns dias... A Feira tornou-se mais um antídoto, à tristeza do povo,  como o Carnaval, a Copa do mundo e muitos outros antídotos que o povo usa para não pensar sobre a sua situação. Povo criativo,  povo inteligente,  povo feliz!
        Digo inteligente,  porque acredito que quando a situação não tem jeito, resolvida está. Então o povão vai encontrando sua maneira de ser feliz!

        Como diz Zé Ramalho em sua música:

       Eh...  Vida de gado,  povo marcado,  povo feliz!

        E você leitor o que acha?! Se concorda ou não concorda pode deixar seu comentário!
        

domingo, 18 de julho de 2010

FELICIDADE

Felicidade...

É mais que artefato,
sentimento grande,
sensação de leveza.

É consciência tranquila,
vontade de viver,
aproveitar a vida,
minuto a minuto.

F
 e
   l
     i
      c
        i
         d
           a
            d
              e ...

É amor Fati,
Não querer nada diferente do que é,
É ter...
Paixão de viver!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Grrrrrrrrr! Merda de Chefe!

Uma colega uma vez num desabafo me confidenciou:

-Como a gente pode viver em paz, num mundo desses! Tem certas pessoas que simplesmente não existem!

Perguntei: Como assim?!



E ela: É meu gestor!... Sabe ele é simplesmente insuportável, acha que sabe tudo! Não respeita a idéia dos outros, adora mandar! Quer que todo mundo chegue cedo no trabalho. Mais ele nunca chega! ... Pede que eu faça um documento: me descabelo, me esforço para fazer o melhor e quando entrego a ele... nunca está bom! Tenho sempre que refazer! Poxa, se é pra ele mesmo fazer, porque não o faz de uma vez?! Às vezes ele só inverte as minhas frases ou coloca palavras sinônimas no lugar das minhas. Um saco!


Então pensei com meus botões: Ela pensa que é a única! ... Isso é mais comum do que se imagina e como é... Então enquanto ela xingava seu gestor colocando para fora todas as cobras e lagartos, que com certeza iam fazer muito bem para o seu ego de funcionária desmotivada, aproveitei para refletir um pouco sobre essa questão.


Vejamos: A função do gestor é garantir a funcionalidade do setor e atender as expectativas dos funcionários e clientes garantindo e maximizando os resultados da empresa. Se o gestor em vez disso, aporrinha a vida de seus funcionários desmotivando-os, sua gestão terá efeito contrário, ou seja: baixa produtividade e consequentemente a insatisfação dos clientes. A esse tipo de gestor vamos chamar de "chefe". A quem interessa o "chefe"?!


Podemos identificar o "chefe" por algumas atitudes:

- Liga para o seu celular para falar de trabalho;

- Numa reunião só ele quer falar;

-O que ele não concorda está errado;

-Quando é com ele é um problema, quando é com os outros não tem importância alguma;

- Diz que não gosta de fofoca mais fica "pescando";

-Usa outras pessoas para fazer as suas críticas, para se passar por bonzinho;

- Finge que acata as idéias do grupo, mas só coloca em prática as suas idéias;

- O sucesso é sempre dele, já o fracasso, é do grupo;

- É vaidoso. Se coloca acima das outras pessoas.
É... tem realmente pessoas que por pegarem um cargozinho num órgão do governo, numa empresa, ou até mesmo numa instituição religiosa, se acham com um rei na barriga. Imediatamente desconhecem os amigos, impinam o nariz, "sobem no salto" ( homens também! ), passam a humilhar outras pessoas principalmente os que estão mais abaixo do seu cargo... é claro! Os que estão acima dele ou dela, puxam o saco na maior cara de pau! Analisando mais a fundo esse comportamento pode-se afirmar que gestores assim são inseguros e sem conhecimento... pra não dizer ignorantes. E por ironia muitos até são pós-graduados ou então "doutourados".

Para explicar pra você leitor porque digo isso, vou recorrer a Psicologia que diz que a motivação é interna. Ou seja para você fazer algo produtivo e positivo é necessário que você esteja estimulado, ou melhor com vontade de fazer. Imaginemos então aquela minha colega que com muita raiva de seu chefe precise fazer um relatório onde deixe muito claro o trabalho da euquipe. É leitor, não errei não! Você leu isso mesmo! ( E se eu errar, me poupe! Você não é o meu chefe!). Gestores têem equipes e "chefes" têem eu-quipes em vez de equipes. Com esse tipo de "chefe" você muitas vezes é proibido de pensar ou ... é pecado pensar! Eles te vêem como um ser sem cérebro!... Mas retornemos a moça do relatório. Como você acha que ela vai fazer o relatório?! Falando maravilhas do trabalho realizado, onde ela só obedeceu ordens e mais nada: Faça isso! faça aquilo! Você já marcou aquela reunião?! Apague! Faça de novo!

Não precisa ser nem um gênio, nem um cientista da Psicologia pra imaginar que o tal relatório vai ficar mesmo uma bela de uma porcaria, não porque a moça não saiba fazê-lo mais porque o que ela gostaria de escrever de verdade nesse relatório são todos os podres de seu chefe ou todos os chifres que ele já levou na vida! (qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência) É ... leitor! E olhe isso não é exagero não! As pessoas são assim mesmo! A grande maioria age pela emoção, em detrimento da razão. E por mais que essa moça se esforce não vai conseguir porque o seu cérebro já bloqueou tudo de bom que poderia escrever. E ela pensa: Ah! tá bom! Porque vou me esforçar, ele vai riscar tudo mesmo?!

Podemos dizer então ao "chefe" que em vez de levar seus empregados a esse exemplo claro de desalento, seria muito mais inteligente de sua parte, motivar as pessoas para que elas produzam mais e melhor. Só que para isso é necessário que o "chefe" tenha segurança em si mesmo e capacidade gestora. E isso é o que esse tipo de "chefe" não tem. Por isso precisa se impor, mostrar que sabe, esconder-se em "cima do salto", ou atrás da mesa, porque assim acha que não corre riscos ( às vezes isso é inconsciente, outras não! ), porque na verdade o que esse chefe tem mesmo de verdade, é medo de outros tomarem o lugar dele! Ou de enxergarem quem ele é na verdade: MESQUINHO(A) E PREPOTENTE.

Mais você deve estar se perguntando o que eu disse a minha colega naquele dia. Foi exatamente isso que eu disse:

- Amiga, tome o lugar dele! Com certeza você vai saber tratar melhor as pessoas. Ou mude de emprego! De uma coisa temos que ter certeza. Nesse mundo nada é para sempre, nem nós mesmas. E as experiências negativas que vivemos em nossa vida vai nos destruindo lentamente. Por isso vale a pena refletir e reagir.

E você? também tem um "chefe" assim?! Então grite!... Faça alguma coisa!

Agora se você é um Gestor e se identificou com este "chefe", acorde! Você ainda pode mudar! Procure ajuda!

 Enviar por e-mail BlogThis! Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no Google Buzz

Marcadores: Texto de opinião

Reações:

2 comentários:

Thaísa Lima disse...

Nem toda pessoa pode ter o poder...cargos importantes só se mantém com pessoas q sabem lidar com pessoas. Parece simples, mas não é.


Renã disse...

Prezada Mazé,

Pensei que fosse de outro estado.

É! Este seu artigo remete-nos a uma chaga denominada AUTORITARISMO, tão pernicioso para a sociedade, quanto uma outra pústula: a DESONESTIDADE.

De todo modo, parabéns! Tá muito bom o PENSAMENTO VIRTUAL.

Renã do Acre

quarta-feira, 7 de julho de 2010

.·´¯`·-> Alma <-·´¯`·.

                                             É noite... escuro
                                               Rebate minha inércia,
                                                 Tira de minha alma o torpor
                                                     De não mais  te possuir.
                                          exorcizando o medo da solidão,
                                                              num  poeminha cinético.
                                        

                                                Afasta de mim a afasia,
                                                   não quero afirmar coisa alguma que me é obscuro.
                                                     Retira de mim tudo que me é estranho.
                                                        Me devolve a razão!

Bjocas no coração!
                                  

segunda-feira, 28 de junho de 2010

FESTIVAL DA CONCHA

 Sempre que posso passeio pelo blog do Altino para saber o que rola nos  bastidores da cidade. Lendo seu comentário sobre o festival de música que acontecia na Concha Acústica, resolvi dá uma passada por lá.
Concha Acústica em 27.06.2010

É,  concordei com ele  ao dizer que o festival não estava assim tão prestigiado como em alguns anos atrás.
Mas, acredito que isso é resultado da falta de movimento no setor de música acreano. Já houve época que aquela concha recebeu mais de cinco mil pessoas num Festival de Música.

Nosso povo também é muito quente,  apaixonado,  fanático  mesmo! Agora é época de COPA do Mundo,  então todos voltaram olhos e ouvidos para a copa. É  um momento mágico, como se o resto não existisse!
Tudo gira em torno da copa,  o comércio, a mídia, até a educação!

Não sei porquê..  (e sabendo).

 Em época de copa tudo acontece e ninguém vê! O capitalista comemora as vendas: camisetas, lenços, bandeiras, apitos, etc, etc,etc...  Acho que é porquê o povo fica assim...  anestesiado com os jogos do Brasil e a vida só continua quando o Brasil perde a copa e volta prá casa... Todos choram copiosamente,  aí... que nem diz o povo,  tudo volta ao normal.

Mas, acho que o importante mesmo é não deixar a bola cair, ops... a música. Quem sabe no próximo ano melhora!

Para os idealizadores, não desistam!  Divulguem mais no próximo ano. Saí de lá com a promessa que em 2011, tem mais! 

 Parabéns ao Mapinguarí que fez a festa!
Ronei levantou a galera com o som do Mapinguarí.

Ao saudoso Los Porongas foi bom ver vocês de novo. Estamos no aguardo do novo DVD (toda a turma aqui de casa).




Diogo Soares e seu bigode! 




Inté!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

II FÓRUM DE EDUCAÇÃO MUNICIPAL EM RIO BRANCO

O II Fórum Municipal de Educação, Ler para Aprender, que está acontecendo até amanhã, dia 25 de junho, no Teatrão, teve durante a manhã de hoje, a excelente participação da Licenciada em Linguística e Ciências em Educação, Pesquisadora e Professora Rosa-Maria Torres Del Castilho (do Equador) que palestrou para um grupo de aproximadamente 500 professores da rede municipal, entre estes, nós equipe técnica da Escola Maria Olívia. O tema foi Leitura e Escrita no século XXI: O que muda para a escola?


A professora que é autora de inúmeras publicações e moderadora de várias redes virtuais nacionais e internacionais, falou sobre a problemática da prática da leitura e da escrita na atualidade. Segundo a pesquisadora a escrita à mão torna-se cada vez mais infrequente nos dias de hoje, pois tudo é escrito no teclado, decorrente da revolução tecnólogica. Vive-se na era do consumo individual. A tendência da família é comprar um dispositivo móvel: um computador, uma máquina fotográfica, celular, etc., para cada membro da família. A continuidade dessa indução desenfreada é o livro eletrônico substituir o livro de papel. Teremos o fim da biblioteca. O fim do livro e o fim do papel.


"A idéia para o futuro é prevalecer os dispositivos móveis, que cabem em uma mão. As mãos do homem vão se modificar fisicamente, uma será maior que a outra. As pessoas estão sendo induzidas a serem rápidas. A velocidade está sendo instalada. E a escola? As práticas continuam muito convencionais. Deveríamos conduzir uma revolução pedagógica. Os países precisam de uma sociedade de leitores e escritores." Disse ela.


                                       II Fórum Municipal de Educação - Teatrão - 24/Junho/2010


Outros problemas e aspectos foram também mencionados pela professora como os preços caros e a fragilidade dos equipamentos, que dificultam o acompanhamento dessa sociedade digitalizada pela escola. Está portanto instalado um grande desafio a nós educadores: O que fazer? Como a escola irá resolver essa situação? A internet hoje é mais atrativa para os jovens e as crianças que a escola. Por outro lado se apropriar dessa tecnologia para ensinar, corre-se o risco de gerar uma população "robotizada" sem laços afetivos por falta do contato físico e do diálogo cara a cara.


Bem, vamos pensar!


O Fórum ainda promete outras reflexões, com outras palestras: O leitor é antes de tudo um sujeito que nele se esconde e se revela - Alguns Cuidados Pedagógicos Necessários, com a professora Ana Maria Falcão. Além de uma sessão de relatos de experiências das escolas locais.

 Parabéns aos realizadores do Fórum pela iniciativa!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

ABAIXO O PRECONCEITO!


Estive pela segunda vez no Fórum Permanente de Educação Étnicoracial, ação que faz parte da Formação Continuada para a Educação das Relações Etnicoraciais. A meta é garantir a efetivação das resoluções da CONAE que propõe a criação de condições políticas, pedagógicas, em especial financeiras para a       efetivação do Plano Nacional de Educação das Relações Etnicos Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira  e Africana.

O Fórum tem convencido  que nós devemos muito ao povo negro, isso se eu também não for de origem negra, porque nunca pesquisei minha árvore genealógica.

É... no nosso país é preciso educar as pessoas para haver aceitação do diferente!

Como se o diferente não tivesse o direito de viver e ser feliz como qualquer outro!

A história nos mostra que até hoje o preconceito está muito presente, embora os escravos tenham sidos considerados livres no 13 de Maio, pouca coisa mudou! Mais pergunte quem é preconceituoso?! Poucos admitem.

“Nós devemos trabalhar para acabar com o racismo!” Foi essa a proposta defendida no Fórum. À primeira vista, parece simples, mas não é. E digo por que: Vamos lutar contra uma grande produção intelectual – cultural, que ao longo dos anos foram construindo valores preconceituosos nas gerações mais novas. Um arsenal imenso de livros, histórias, músicas, piadas, idéias, etc. recheados de pitadas de preconceito não só contra negros, mas contra índios, mulheres, idosos e outras minorias. Sem contar a força gigantesca da mídia que esmaga qualquer aula de milhares de professores.

Só pra exemplificar, você já parou para refletir que a grande maioria, senão todos os heróis, princesas, príncipes, reis, ou protagonistas principais de contos, romances, filmes, propagandas, etc, são brancos! Você tem visto nos filmes ou livros algum super-homem negro?! Alguma princesa ou rainha negra? Ora, se a imagem do negro é sempre mostrada como inferior, logo se formará conceitos negativos sobre eles. Ultimamente, a TV vem ensaiando muito timidamente mostrar os negros numa situaçãozinha melhor. Mais é sempre funções irrelevantes, em segundo papel. Nunca o mocinho ou mocinha!

Ora! Arrancar as raízes do preconceito é difícil! Porém, falar dele é muito fácil! E essa por ironia, passa a ser a nossa principal arma! Não só contra esse, como também para combater outrostipos! Digo isso porque o Brasil é campeão de preconceitos também contra gordos, loiras, pessoas com deficiência e até contra feios. Vinícius de Moraes disse: “Desculpe-me as feias, mas beleza é fundamental!” Frase que ficou conhecida e é repetida por outros homens.

Fundamental pra quê?! Fundamental pra quem?! Para homens que vêem a beleza como melhor atributo de uma mulher?! Ou para as empresas de beleza que ganham a vida com a imagem das mulheres! Muitas vezes até com imagem irreal, mentirosa, fabricada em estúdios fotográficos que escondem defeitos, manchas, estrias, ou celulites existentes em todas as mulheres! Mulheres de verdade tem defeitos, as fotos nem sempre! Esse preconceito é criminoso! Pois leva milhares de nossos jovens à doenças psiquiátricas ou à morte. Rapazes tomam bombas para obter músculos e obtém doenças, às vezes irreversíveis. Muitas mulheres se submetem à lipoaspiração, dietas, cirurgias ou tratamentos de beleza muitas vezes fatais, no desespero de conseguirem a imagem ideal bombardeada pela indústria da beleza!

E o preconceito de gênero propriamente dito, com as mulheres?! Esse é pior, camuflado, disfarçado! Uma mulher só é respeitada quando tem um homem do lado. E somente respeitada, pois não é enxergada! Todos olham o marido, falam com ele primeiro, depois é que se dirigem as esposas. Às vezes nem isso! Nunca observou?! Então observe! Vai ficar espantado (a) com o que vai ver!

Se ela estiver sozinha então: Se for nova e bonita é olhada como futura conquista! Ou seja objeto de uso! Se é feia, como bagulho, coisa de ir pro lixo! Se já não é nova, então coitada! Essa já pode morrer! Acham que estou exagerando?A mulher sempre foi e é tratada apenas como procriadora da espécie! Observem melhor então! Digo algo pior ainda. Se o homem casa com uma mulher mais nova: Nossa! Ele ainda está com a maior bola! Pensam os amigos! Se a mulher casa com um homem mais novo: Nossa! Ele deve está interessado no dinheiro dela! Se a mulher é pobre, então deve está interessado na filha dela ou então quer que ela o sustente e coisa e tal!

Muitos dizem: a mulher hoje é livre, pode ir e vir, cuidar da própria vida, pode trabalhar. É verdade! Só que muitas mulheres cumprem duas jornadas de trabalho: uma fora e outra em casa! Na maioria das famílias ainda é a mulher a responsável pelos serviços domésticos. E ainda cuida dos filhos, vai a reuniões de escola, que chamam de reuniões de pais, mas na verdade são reuniões de mães! Também faz feira e ajuda a pagar as contas, é mole?! A mulher é tudo isso e muito mais! Como diz Arnaldo Jabor “As mulheres carregam o fardo da dor histórica e social por serem mais sensíveis e fracas”. Apesar de não concordar com o conceito de fraca, concordo com o restante da frase.

Então, o preconceito continua tão forte na nossa sociedade hoje, quanto ontem! O negro, a mulher, o índio, e o idoso são discriminados e nós de todos os setores da sociedade devemos contribuir para diminuir essa desigualdade, até porque todos seremos idosos um dia e sentiremos na própria pele a dor de ser discriminado (a).

 Como? Refletindo sobre o tema com nossos alunos, amigos, colegas de trabalho,etc. Desconstruindo velhos valores. Recriando novos personagens, novas poesias, novas músicas, novos textos... novas histórias onde negros, índios, mulheres, idosos e outras minorias passem a ser personagens principais, ídolos e heróis.
Que bom que setores da sociedade despertaram para políticas públicas que contribuam para diminuir o massacre do preconceito. Porém esse será um longo caminho a percorrer!

ABAIXO O PRECONCEITO!

Postado por Maze Oliver às 21:46 1 comentários Links para esta postagem

Marcadores: Texto de opinião

quarta-feira, 16 de junho de 2010

VOCÊ


Você que vive a olhar a vida dos outros,
Que não ajuda  ninguém e quer ser ajudado,
Que ser atreve a ver a vida passar!
Sem tomar atitudes.

Que não valoriza quem está ao seu lado,
Que fala sem refletir,
Que age sem pensar,
Que pensa sem agir!

Que é escravo da moda e do capital,
Que não vê beleza no por do sol,
Que não admira as rosas!
Que não sente o cheiro das flores.
Cuidado, você vai ficar só e infeliz!

domingo, 13 de junho de 2010

ACADEMIA ACREANA DE FILOSOFIA

De 07 a 11 de junho aconteceu a Primeira Semana de Filosofia promovida pela recem fundada Academia Acriana de Filosofia. Os Acadêmicos, professores  e estudantes de Filosofia de várias faculdades de Rio Branco  reuniram-se no auditório da Biblioteca Pública (Filmoteca) para participar do evento que tinha como objetivo fomentar e divulgar a Filosofia.
Professor Coraci (UFAC)  e o Presidente da Academia
(ao receber a carteira da Academia).
       
Dentre os participantes estavam os Professores Guilherme Cunha, Maria Ivanilda, Francisco de Assis, Francisco Generoso, Coraci  Saboia e  João Azevedo que palestraram sobre vários temas da Filosofia. O Professor Coraci que apresentou um painel sobre A Construção do Pensamento Filosófico,  lá pelas tantas do debate afirmou: "O Presidente Lula tem interesse em projetar o Brasil no estrangeiro e está conseguindo. Hoje ele é um excelente chefe de estado, mas não acontece como chefe de governo. Isso se deve aos programas dos sacolões e as bolsas misérias".  E ao conceituar Estado disse: Não existe estado perfeito. O estado sempre será imposição de poder." No final da semana disse estar contente com o convite que recebeu para participar do evento e como filiado se mostrou disposto a colaborar com os trabalhos futuros da Academia.


 A Academia pretende continuar seu trabalho organizando cursos de extensão,  publicando livros e organizando caravanas.
"Já temos universidades interessadas nos nossos projetos. Pretendemos também levar para as escolas vários filósofos,  através do Projeto Caravana Filosófica".  Falou o Professor Guilheme Cunha, um dos fundadores e também Diretor de Imprensa da Academia.

 Para esses projetos a academia pretende convidar pessoas conhecidas entre os filósofos  e outros profissionais de nomes referendados na comunidade.  Durante as rodas de conversas nos intervalos do evento,  o nome do Professor Mastrangelo foi lembrado com grande saudade. A diretoria atual é provisória permanecendo até que seja organizada a eleição da nova diretoria que deverá acontecer provavelmente em 2011. A reunião dos filiados acontecerá  ordinariamente uma vez ao mês. Informou o professor Guilherme.

Aos estudantes, professores e interessados,  a academia está fazendo filiações. Podem procurar informações no centro da cidade na Casa do Artesão.

Bjokas no coração

sábado, 29 de maio de 2010

A FORMIGA E A CIGARRA

Minha amiga Professora Conceição mandou-me por e-mail, achei muito interessante! Além de ter tudo a ver com o trabalhador brasileiro, estou dividindo com você leitor,  meu amigo! Você merece ler esse texto para refletir o que está fazendo com a sua vida! Tenho amigas e amigos que só vivem para trabalhar! Vamos viver?!

Era uma vez, uma formiguinha e uma cigarra muito amigas.
Durante todo o outono, a formiguinha trabalhou sem parar, armazenando
comida para o período de inverno.
Não aproveitou nada do sol, da brisa suave do fim da tarde e nem o
bate-papo com os amigos ao final do trabalho tomando uma cervejinha gelada
Seu nome era 'Trabalho', e seu sobrenome era 'Sempre'.

Enquanto isso, a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos e
nos bares da cidade; não desperdiçou nem um minuto sequer.
Cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o sol, curtiu prá valer
sem se preocupar com o inverno
que estava por vir.
Então, passados alguns dias, começou a esfriar.
Era o inverno que estava começando
A formiguinha, exausta de tanto trabalhar, entrou para a sua singela e
aconchegante toca, repleta de comida.
Mas alguém chamava por seu nome, do lado de fora da toca.
Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu.
Sua amiga cigarra estava dentro de uma Ferrari amarela com um aconchegante
casaco de vison.


E a cigarra disse para a formiguinha:
- Olá, amiga, vou passar o inverno em Paris.
- Será que você poderia cuidar da minha toca?
- E a formiguinha respondeu:
- Claro, sem problemas!
- Mas o que lhe aconteceu?
- Como você conseguiu dinheiro para ir à Paris e comprar esta Ferrari?

E a cigarra respondeu:
Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um
produtor gostou da minha voz,
Fechei um contrato de seis meses para fazer show em Paris..
À propósito, a amiga deseja alguma coisa de lá?

Desejo sim, respondeu a formiguinha.
Se você encontrar o La Fontaine (Autor da Fábula Original) por lá, manda ele
ir para a "Puta Que O Pariu!!!"
                                                               AUTOR DESCONHECIDO (parabéns ao autor)
Qualquer semelhança conosco não é mera coincidência!

Moral da História:

Aproveite sua vida, saiba dosar trabalho e lazer, pois TRABALHO EM

DEMASIA só traz benefício em fábulas do La Fontaine e ao seu PATRÃO. *

Trabalhe, mas curta a sua vida!

sábado, 22 de maio de 2010

TÔ DE "SACO" CHEIO!

É claro que não tenho saco. Força de expressão! Mas é que tem hora que não dá pra aguentar! Tem gente que não aguenta com a própria vida e não faz nada pra melhorar! Fica sugando as energias boas dos outros.
Te pede ajuda, te pede colo, dinheiro, conselho e se você não tiver cuidado, te pede  o sangue!

Você ajuda, ouve,  vê o desenrolar das lágrimas, reclamações, blá,blá,blá...blá,blá,blá...  dá colo, "canta musiquinha" e nada!...  Pô enchi o saco! Tô fora!

 Ninguém é obrigado a ser forte o tempo todo! Nem carregar os outros precisa ser uma neura eterna! Isso serve pra você também, leitor! Se tem alguém assim na sua vida! Seu chefe, seu melhor amigo, sua mãe,  sua namorada, ou etc,etc,etc ... Ah! você não tem!  Puxa que sorte a sua!

Digo isso,  por que às vezes você se desdobra  pra construir uma relação melhor com esse alguém, você está sempre servindo,  esperando que o outro reaja... um dia...  por si mesmo!  E essa pessoa parece que se acomoda,  esperando que as coisas caiam do céu, por descuido de São Pedro ou seja lá que santo for!   Você acha que ela acha, a repetição foi de propósito!  Que o mundo de repente vai conspirar a seu favor! E ela vai "ganhar na loto, sem jogar".

 É aí, que você percebe que essa pessoa sempre teve o necessário pra viver bem e você com seus próprios olhos já conheceu alguém que tem menos e é feliz! Que ela tem  filhos ótimos, um bom emprego! É... um bom  emprego hoje,  não é para todo mundo não! E mesmo assim vive a  lamentar! Não faz nada de bom pelos outros e ainda sente injustiça em sua vida!

Ora francamente,  vá plantar batatas! Enchí!

quarta-feira, 19 de maio de 2010

EXERÇA SEU DIREITO DE DIZER: NÃO!

Muitas vezes nos vemos diante de situações na vida que nos intimida e nos faz calar. Fingimos que aquela atitude não nos magoou e tocamos em frente. Mais tarde quando as consequências surgem, culpamos alguém, geralmente os mais próximos, por nossa falta de coragem pra reagir diante de tais situações.
Embora a genética e o ambiente colaborem para nossa forma de se comportar, cada um trás dentro de sí uma força capaz de mudar qualquer situação. Só precisamos buscar essa fortaleza escondida em nós mesmos pelos nossos próprios e pequenos atos do dia a dia.
Tudo pode ser diferente, se somos menos tímidos na hora de nos defender. Pois devemos ter coragem e a atitude de dizer NÃO aqueles que nos machucam consciente ou inconscientemente. Devemos compreender que cabe unicamente a nós a tomada de decisão pela nossa própria defesa e entender que quando nos amamos é muito mais fácil fazer isso. Se defender não significa agredir ou culpar os outros pelas nossas dificuldades e sim tomar nas mãos nossa própria vida, direcionando-a para rumos positivos, administrando nossos problemas, assumindo, aceitando e perdoando nossas próprias falhas por sermos humanos. Aprendendo com nossos próprios erros e nos erguendo com nossas próprias pernas. Isso é fácil?

Não, não é fácil! Nem pra mim, nem pra você, nem pra ninguém. Todos temos nossas dificuldades, carências, neuras e inseguranças, alguns mais, outros menos. Mas todos nós também temos nosso poço de fortaleza que podemos lançar mão na hora da necessidade, quando queremos. Muitos fazem isso buscando um psicólogo, um guru, um parente, um bom amigo ou a sí mesmo. Sozinho é mais difícil. Porém não é impossível, buscando a Deus dentro de sí. Cada um reage de uma maneira. Não existe fórmula pronta de viver feliz. Momentos difíceis, todos temos. O que importa mesmo e que não devemos desistir de lutar, porque a felicidade é um direito e dizer NÃO também é um direito seu, meu e de todos.

Dizer NÃO a que? A quem? A todas as formas de manipulação, a todas as pessoas que nos tratam mal, a todas as formas de chantagem (inclusive a emocional), ao preconceito e a tudo que nos impede de ser feliz.
Dizer NÃO nos protege. Dizer NÃO nos fortalece!

sexta-feira, 14 de maio de 2010

VITÓRIA PARA OS PROFESSORES



Encerrou hoje a greve dos professores licenciados

Foram 29 dias de movimento.
O comando de greve comemorou a vitória com a categoria em frente ao palácio do governo.

Até que enfim a coerência venceu a arrogância! A equipe do governo cedeu a pressão dos professores, que não arredaram o pé da praça e gritaram aos quatro ventos suas angústias e descontentamentos.

A professora Alcilene Gurgel, presidente do SINPLAC, falou emocionada: "A maior vitória foi a unidade do movimento. Resgatamos o respeito e a dignidade da nossa categoria".
O governo deu a puladinha de letra a todos os professores licenciados. Ficaram de fora os aposentados e os professores provisórios. O sindicato continuará sua luta, por qualidade na educação e por concurso público para professor. Só assim os professores provisórios poderão fazer parte do quadro permanente e serem mais respeitados por esse ou outros governos.
As aulas recomeçam na segunda feira próxima, a categoria conta com a compreensão da comunidade para a reposição das aulas.
Que essa greve fique registrada como mais uma vitória histórica dos professores do Acre.

Somos formadores de opiniões, alimentamos a mente dos homens com conhecimentos em todos os aspectos do desenvolvimento e por isso devemos ser respeitados como pessoas e como profissionais.

VAMOS À LUTA COMPANHEIROS!

terça-feira, 11 de maio de 2010

DOR



Oh, DOR...




Dor, que me és tão útil,


                                Por me fazer tão forte!




                               Me faz aprender a conviver


                              com os VERMES!




segunda-feira, 10 de maio de 2010

GREVE DA EDUCAÇÃO CONTINUA

A greve da educação estadual que já dura 26 dias, continua. Hoje (10/05) reunidos em praça pública, os profissionais da educação recusaram a proposta do governo e decidiram continuar com a greve que tem final marcado para 05 de julho, caso o governo continue resistindo.
Os grevistas mais uma vez ficaram muito irritados, por considerarem esta última proposta da equipe do governo uma manobra para dividir o movimento. A proposta deixaria de fora grupos de professores e iria corrigir as perdas salariais apenas do ano de 2010.
A categoria sente-se prejudicada desde a aprovação do Plano de Carreira em 1999, quando um grande número de professores foram injustiçados. Os professores mais antigos tiveram que voltar para as letras iniciais da carreira (reenquadramento) e passaram a avançar nas letras (puladinha), somente de sete em sete anos (antes: de três em três). Isso foi considerado na época por um grupo de professores, como uma jogada de mestre de algumas pessoas do sindicato "ligadas" ao governo e alí mesmo, no choque da decepção nasceu o Sindicato dos Professores Licenciados do Acre (SINPLAC), que lutaria pelos direitos dos professores licenciados a partir de então.
Hoje SINPLAC e SINTEAC lutam juntos por essa bandeira que já é tão antiga quanto a decepção dos professores. E na praça, que serve de palco para desabafos, essas decepções vão aparecendo nos discursos inflamados de muitos. São novas lideranças que nascem, enquanto a força do movimento ressurge e vai tomando corpo e aglutinando apoio.
De um lado o governo resiste em não considerar a proposta do magistério, que é a de recuperação imediata das perdas salariais (inflação). De outro estão os grevistas, que resistem e ameaçam continuar em greve até a vitória. Perdem o governo e sua equipe, que por ironia muitos também são professores, perdem os alunos e professores que depois terão que usar os dias de descanso para repor aulas.
Como o poder de luta da Educação é reconhecidamente histórico, essa briga ainda vai render mais alguns desdobramentos.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

ADAPTAÇÃO À ESCOLA


Todo ser humano em algum momento de sua vida precisa adaptar-se a alguma situação.

As crianças quando chegam na escola ou na creche também não são diferentes. Necessitam de algum tempo para adaptar-se à nova situação tão diferente de suas experiências em família.

Tenho dito aos pais na escolinha para manter a calma e esperar. Tudo vai se encaixando devagar e naturalmente. Logo a criança estará pedindo para ir à escola.

Mas, para que isso aconteça é necessário algumas atitudes:

Por parte da escola é necessário esclarecer os pais e orienta-los quanto a esse período tão doloroso para eles e suas crianças. Nesse período, a insegurança é grande, tanto da parte das crianças, quanto dos pais. Para alguns, o temor é deixar sua criança nas mãos de estranhos. A separação é dolorosa! Temos exemplo de mães que chegam a chorar. Já as crianças, sentem-se desamparadas e abandonadas por seus pais, algumas ficam mesmo desesperadas e passam alguns dias chorando muito.
Mas, esse processo não é igual para todas as crianças, algumas ficam muito bem na escola desde os primeiros dias. Isso depende da segurança emocional de cada uma. E essa segurança é construida na família desde a gravidez.

É importante que a escola nos primeiros dias ofereça um horário um pouco menor do que o habitual; que todos na escola sejam o mais receptivos possíveis (não confundir com mimos exagerados); as atividades do período de adaptação sejam o mais lúdicas e envolventes; as crianças devem ser convidadas a participarem das atividades, deixando-as livres para aceitar o convite ou não. E que a escola permita a criança levar seu brinquedo preferido que funcionará como elo nesse momento.

Quanto aos pais que não se atrasem para pegar as crianças no final do horário, para não criar ou aumentar a insegurança deles; que confiem na escola e deixem seus filhos com uma mensagem de confiança, dizendo-lhes: Você vai ficar bem! Volto no final da aula para lhe buscar! Evitar outras atitudes que possam causar desconfiança na criança. Por exemplo: chorar, esconder-se ou tentar enganar a criança. Se não confiam, é melhor trocar de escola! Levar para a escola o material escolar, por pouco que seja para não lhe causar constrangimento frente às outras.

Se com todos esses cuidados, seu filho ainda não conseguiu se adaptar até essa época do ano, então é hora de procurar um profissional para ajudar a família a conduzir o processo e evitar a instalação de outros problemas futuros!




quinta-feira, 15 de abril de 2010

GREVE GERAL


Os professores de nível superior decretaram hoje greve geral. Faz muito tempo que não temos aumento real nem tão pouco reposição das perdas salariais. Os salários sobem, inclusive o mínimo e o nosso fica esquecido. Segundo o governo já estamos ganhando bem.



Ora, se ganhamos bem! Nós estudamos e lutamos muito para chegar a esse salário que não é tão grande assim! Bem ganham os que estão no poder! Bem ganham os senhores políticos! Bem ganham os altos cargos do governo! Isso não justifica o pouco caso com a nossa categoria! Nem as nossas perdas repoem!



Não sabem os senhores que somos cabeça pensante neste estado? Que somos formadores de opiniões? Que somos formadores de crianças, adolescentes e adultos? Por acaso esqueceram suas origens? Não foi no movimento social que muitos de vocês brilharam antes de chegar ao poder? Acham que vamos ficar de braços cruzados enquanto somos humilhados diante da sociedade! Acreditam que perdemos a força para lutar?



Esperamos pacificamente durante todo esse tempo por respeito aqueles que colocamos no poder! Porém agora chega! É greve até nos respeitem! Vamos à luta companheiros!... ESSA FALA AINDA É NOSSA!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Novo Repensar


Penso em tudo que já vivi,

Repenso o novo

Leve pensar!

Enfim livre!

Mesmo pela metade,

Mesmo pelo avesso,

Repenso o novo!


Novo repensar!

Breve lucidez,

Curta temporada da vida!

mesmo breve,

Merece ser vivida,

Mesmo pela metade,

Mesmo pelo avesso

Repenso o novo!


Novo velho!

Velho novo!

Lindo sonho,

Sonho de ser feliz!

Um sonho de todos!