terça-feira, 7 de novembro de 2017

MORGANA FADA - A PRIMEIRA BONECA -TEXTO 5

MINHA  PRIMEIRA BONECA  - TEXTO 5
por Maze Oliver

      Em meados do ano 1964, o BRASIL vivia o golpe da Ditadura Militar, a crise política afetava todas as áreas. No Acre, lugar longíncuo, era pior ainda. Em Rio Branco, a capital, o comércio não era lá essas coisas. O centro da cidade à beira do rio Acre, com suas lojinhas, poucas novidades apresentavam. Se hoje, já não temos muitas coisas, imaginem nessa época. 
      Eu, na minha inocente infância, sonhava com uma BONECA DE CABELO, sim, porque as que já havia possuído os cabelos eram​ plásticos.Os cabelos não, a imitação dos cabelos! Uma boneca assim moderna, era sonho. Mesmo pra outras crianças ricas,  era novidade. Além de ser muito cara, fora do alcance da situação financeira da minha família, sem contar a dificuldade para  encontrar bonecas assim no comércio local.
      Num passeio com minha mãe e avó, fizemos uma visita que me rendeu a realização do meu sonho. Na casa de um rico médico da cidade, após ouvir​ quieta no meu canto, os adultos conversarem sobre política e se dividirem entre a favor e contra ao golpe que também atingiu a política no Acre, não lembro qual a relação dos meus parentes com a família, mas que a conversa fora muito chata, isso eu lembro!
      Ao sairmos da casa eu vi uma boneca linda com cabelos loiros e olhos azuis, ao lado do vaso para lixo! É uma ideia me veio a cabeça imediatamente.Pedir o brinquedo a minha avó. Porque não ?! Iria para o lixo! Mas minha avó nos seus mais honestos brios, pediu a dona da casa, a boneca. Saí do local muito feliz levando nos braços o meu sonho. Ela não era bem o brinquedo perfeito para as crianças daquela casa, pois não tinha mais nem braços e nem pernas.Mas, para mim, que sonhava com uma princesa daquelas, ela estava perfeita demais.
      Em casa, foi uma verdadeira festa. Minha avó que sempre me cobriu com mimos e que jamais vou esquecer, pois foi para mim, toda a referência de carinho e amor que recebi na infância, depois de lavar e tratar os cabelos da boneca, lhe fez uns braços e umas pernas com panos e um dia aproveitando a saída da mamãe, me fez vários vestidos lindos para ela. Batizamos juntas a PRINCESA e brincamos de casinha muitas vezes. Quem não ficou muito feliz foi a minha mãe, quando descobriu que minha avó havia cortado seu vestido de casamento, para costurar as roupinhas da boneca.
      Eu nunca vou esquecer a PRINCESA. Suas pernas e braços de panos, nem de longe puderam impedir-me de sonhar e ser feliz, mesmo num tempo de pobreza e total insegurança social e política que vivíamos na época e que eu silenciosamente acompanhei, ao ouvir as conversas de meu pai reclamando da renúncia do governador na época, pressionado por pactos e conflitos políticos, não muito diferente do que vivemos hoje.


ASSINA MORGANA

Conheça minhas obras:

http://umpensamentovirtual.com.br
maze.pag.zip.net
http://clubedeautores.com.br/authors/157692
Face book : /maze.oliveira2
CONTATOS: Email:mazeoliver1@gmail.com
                            Bjokas no Coração!

2 comentários:

  1. Mazé, uma história linda. Mostra a grandiosidade da inocência de uma criança. Parabéns por compartilhar.
    Tenho comentado as suas últimas postagens, mas não tenho visto, aqui, meus comentários. Você os tem recebido? Abração.

    ResponderExcluir
  2. Amei a história da Boneca! Deve ter ficado uma Linda Princesa mesmo! Antigamente as crianças não tinham bonecas como tem hoje! Eu mesma só tive uma com cabelo!
    Bjinhos Querida!!!

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua impressão sobre a postagem. Seja sincero(a), para que eu possa crescer como escritora e poeta. Agradeço de coração sua opinião. Volte sempre. Bjs.