sábado, 27 de janeiro de 2018

MORGANA FADA - MINHA ÚNICA FOTO INFANTIL - TEXTO 6

 A ÚNICA FOTO INFANTIL DE QUE ME LEMBRO
Por Maze Oliver

      Eu era muito pequena  e, não sei dizer qual idade, mas lembro que minha mãe me levou  a um estúdio fotográfico. Eu nunca havia tirado uma foto na vida, pelo menos não lembro de ter visto outras fotos  que não essa! Principalmente de papel. Havia na época umas fotos que para se ver era através de monóculo.
      O dia estava calmo. As ruas quase vazias. Devia ser um daqueles feriados, como hoje, poucas pessoas na rua, todos em suas casas,  com rádios ligados em programas de mensagens ou músicas das paradas de sucesso. Nessa época, aqui no Acre não havia TV. Todos usavam o rádio para espairecer e espantar o tédio.
     Subimos a ladeira eu, mamãe e mais alguém, talvez minha avó paterna.       Nessa época eu tinha muito pouco cabelo, só uns "fiapinhos" como bem dizia minha mãe. Estava com minha melhor roupinha. Perguntei a mamãe onde íamos. Não deveria ter feito essa pergunta! Sim,  porque  a resposta não me agradou muito.  Respondeu-me que iríamos a algum lugar e que lá iriam cortar meu dedo, para deixar de ser perguntadeira. Fiquei muito assustada e comecei a chorar.
     Quando chegamos ao local eu já não tinha mais lágrimas. Mas careta eu ainda fazia! Ao entrarmos  mandou que eu apontasse o dedo dizendo ela que havia chegado a hora de cortá-lo. Pediu também que  fizesse pose para a tal fotografia. Assim saiu a minha foto com cara de choro e de dedo apontado!
     Essa foto esteve comigo durante muito tempo, mas na adolescência ao ouvir minha mãe recontar, morrendo de rir,  essa história para uma de suas amigas, tive um repente de raiva e rasguei a foto em pedacinhos. Ela podia contar a história mas, não mais teria a prova daquele dia infame!



     Na verdade o apontar do dedo era para as  medidas  de um anel, pois o local além de estúdio fotográfico era também loja, mas isso não me explicaram, nem depois.


      Minha mãe brincava, mas para mim tudo aquilo era muito dolorido. 



      Assim continuou minha rebeldia adolescente, meu jeito de defender-me das intempéries do mundo para vencer e passar por cima dos obstáculos e das "brincadeirinhas" dos adultos.

ASSINA MORGANA
                                                



Conheça minhas obras:

http://umpensamentovirtual.com.br
maze.pag.zip.net
http://clubedeautores.com.br/authors/157692
Face book : /maze.oliveira2
CONTATOS: Email:mazeoliver1@gmail.com
Bjokas no coração!
                                             

2 comentários:

  1. Kkkk kkk! Imagino como Vc deve ter ficado furiosa! Acho que eu tb rasgaria a foto! Pena que ficou sem uma lembrança de criança! Bjinhos!

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua impressão sobre a postagem. Seja sincero(a), para que eu possa crescer como escritora e poeta. Agradeço de coração sua opinião. Volte sempre. Bjs.