quinta-feira, 17 de junho de 2010

ABAIXO O PRECONCEITO!


Estive pela segunda vez no Fórum Permanente de Educação Étnicoracial, ação que faz parte da Formação Continuada para a Educação das Relações Etnicoraciais. A meta é garantir a efetivação das resoluções da CONAE que propõe a criação de condições políticas, pedagógicas, em especial financeiras para a       efetivação do Plano Nacional de Educação das Relações Etnicos Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira  e Africana.

O Fórum tem convencido  que nós devemos muito ao povo negro, isso se eu também não for de origem negra, porque nunca pesquisei minha árvore genealógica.

É... no nosso país é preciso educar as pessoas para haver aceitação do diferente!

Como se o diferente não tivesse o direito de viver e ser feliz como qualquer outro!

A história nos mostra que até hoje o preconceito está muito presente, embora os escravos tenham sidos considerados livres no 13 de Maio, pouca coisa mudou! Mais pergunte quem é preconceituoso?! Poucos admitem.

“Nós devemos trabalhar para acabar com o racismo!” Foi essa a proposta defendida no Fórum. À primeira vista, parece simples, mas não é. E digo por que: Vamos lutar contra uma grande produção intelectual – cultural, que ao longo dos anos foram construindo valores preconceituosos nas gerações mais novas. Um arsenal imenso de livros, histórias, músicas, piadas, idéias, etc. recheados de pitadas de preconceito não só contra negros, mas contra índios, mulheres, idosos e outras minorias. Sem contar a força gigantesca da mídia que esmaga qualquer aula de milhares de professores.

Só pra exemplificar, você já parou para refletir que a grande maioria, senão todos os heróis, princesas, príncipes, reis, ou protagonistas principais de contos, romances, filmes, propagandas, etc, são brancos! Você tem visto nos filmes ou livros algum super-homem negro?! Alguma princesa ou rainha negra? Ora, se a imagem do negro é sempre mostrada como inferior, logo se formará conceitos negativos sobre eles. Ultimamente, a TV vem ensaiando muito timidamente mostrar os negros numa situaçãozinha melhor. Mais é sempre funções irrelevantes, em segundo papel. Nunca o mocinho ou mocinha!

Ora! Arrancar as raízes do preconceito é difícil! Porém, falar dele é muito fácil! E essa por ironia, passa a ser a nossa principal arma! Não só contra esse, como também para combater outrostipos! Digo isso porque o Brasil é campeão de preconceitos também contra gordos, loiras, pessoas com deficiência e até contra feios. Vinícius de Moraes disse: “Desculpe-me as feias, mas beleza é fundamental!” Frase que ficou conhecida e é repetida por outros homens.

Fundamental pra quê?! Fundamental pra quem?! Para homens que vêem a beleza como melhor atributo de uma mulher?! Ou para as empresas de beleza que ganham a vida com a imagem das mulheres! Muitas vezes até com imagem irreal, mentirosa, fabricada em estúdios fotográficos que escondem defeitos, manchas, estrias, ou celulites existentes em todas as mulheres! Mulheres de verdade tem defeitos, as fotos nem sempre! Esse preconceito é criminoso! Pois leva milhares de nossos jovens à doenças psiquiátricas ou à morte. Rapazes tomam bombas para obter músculos e obtém doenças, às vezes irreversíveis. Muitas mulheres se submetem à lipoaspiração, dietas, cirurgias ou tratamentos de beleza muitas vezes fatais, no desespero de conseguirem a imagem ideal bombardeada pela indústria da beleza!

E o preconceito de gênero propriamente dito, com as mulheres?! Esse é pior, camuflado, disfarçado! Uma mulher só é respeitada quando tem um homem do lado. E somente respeitada, pois não é enxergada! Todos olham o marido, falam com ele primeiro, depois é que se dirigem as esposas. Às vezes nem isso! Nunca observou?! Então observe! Vai ficar espantado (a) com o que vai ver!

Se ela estiver sozinha então: Se for nova e bonita é olhada como futura conquista! Ou seja objeto de uso! Se é feia, como bagulho, coisa de ir pro lixo! Se já não é nova, então coitada! Essa já pode morrer! Acham que estou exagerando?A mulher sempre foi e é tratada apenas como procriadora da espécie! Observem melhor então! Digo algo pior ainda. Se o homem casa com uma mulher mais nova: Nossa! Ele ainda está com a maior bola! Pensam os amigos! Se a mulher casa com um homem mais novo: Nossa! Ele deve está interessado no dinheiro dela! Se a mulher é pobre, então deve está interessado na filha dela ou então quer que ela o sustente e coisa e tal!

Muitos dizem: a mulher hoje é livre, pode ir e vir, cuidar da própria vida, pode trabalhar. É verdade! Só que muitas mulheres cumprem duas jornadas de trabalho: uma fora e outra em casa! Na maioria das famílias ainda é a mulher a responsável pelos serviços domésticos. E ainda cuida dos filhos, vai a reuniões de escola, que chamam de reuniões de pais, mas na verdade são reuniões de mães! Também faz feira e ajuda a pagar as contas, é mole?! A mulher é tudo isso e muito mais! Como diz Arnaldo Jabor “As mulheres carregam o fardo da dor histórica e social por serem mais sensíveis e fracas”. Apesar de não concordar com o conceito de fraca, concordo com o restante da frase.

Então, o preconceito continua tão forte na nossa sociedade hoje, quanto ontem! O negro, a mulher, o índio, e o idoso são discriminados e nós de todos os setores da sociedade devemos contribuir para diminuir essa desigualdade, até porque todos seremos idosos um dia e sentiremos na própria pele a dor de ser discriminado (a).

 Como? Refletindo sobre o tema com nossos alunos, amigos, colegas de trabalho,etc. Desconstruindo velhos valores. Recriando novos personagens, novas poesias, novas músicas, novos textos... novas histórias onde negros, índios, mulheres, idosos e outras minorias passem a ser personagens principais, ídolos e heróis.
Que bom que setores da sociedade despertaram para políticas públicas que contribuam para diminuir o massacre do preconceito. Porém esse será um longo caminho a percorrer!

ABAIXO O PRECONCEITO!

Postado por Maze Oliver às 21:46 1 comentários Links para esta postagem

Marcadores: Texto de opinião

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua impressão sobre a postagem. Seja sincero(a), para que eu possa crescer como escritora e poeta. Agradeço de coração sua opinião. Volte sempre. Bjs.