segunda-feira, 12 de outubro de 2015

CATARSE


Sentimentos que se confundem
Dor, que não se esvai.
Dor que em mim habita,
Tempo que não a destrói.

Canto o amor e a solidão.
Sofro, choro, vivo e renasço.
Nos meus versos faço catarse,
Na catarse,  a recuperação.

Não me entrego e  luto com afinco
Persisto e não esmoreço.
Não recuo,  vou à luta,  permaneço!
Viro do avesso, me restabeleço.

Quer conhecer meu livro, acesse:
http://clubedeautores.com.br/book/183822--Devaneios


   Bjokas no coração!

Um comentário:

  1. Saudades da bruxinha. Olá minha amiga lá vem a Sereia com um spam *gargalhadas* - Sim, pois venho para te convidar a participar das brincadeiras do 3º Natal da Ilha. O meu espírito criança sempre permanece em mim e queria brincar contigo. Estou te esperando. Beijos no ♥

    http://ilha-da-lindalva.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua impressão sobre a postagem. Seja sincero(a), para que eu possa crescer como escritora e poeta. Agradeço de coração sua opinião. Volte sempre. Bjs.