terça-feira, 29 de novembro de 2011

LEITURA E ESCRITA, INSTRUMENTO DE CIDADANIA!

         
   O processo de aquisição da leitura e da escrita  na escola se constitui como importante instrumento de acesso à cidadania das crianças da periferia. Muitas vezes,  a única oportunidade de transposição de classe social.

   A experiência nos confere afirmar  que as crianças mais pobres enfrentam mais dificuldades para o aprendizado da leitura e da escrita na escola. Um dos motivos é a falta de acesso ao mundo letrado que  atrasa o processo de alfabetização da criança. Quem chega com mais experiência,  sai na frente!   Os pais trabalham o dia inteiro ou não possuem a cultura da leitura. As famílias além de não terem  o hábito de ler, não dispõem de livros, revistas, jornais ou outras fontes de leitura. 

   Muitas vezes, a  fonte privilegiada de informação é a televisão, com contéudo não selecionado,  que atrapalha mais do  que ajuda na educação das crianças.

   Assim sendo, a escola acaba por ser  a oportunidade real de contato com um dos códigos de comunicação,   a leitura e a escrita, importante aquisição para o exercício da cidadania na vida adulta.  Pois instrumentalizadas, pelo código escrito, poderão participar de forma ativa da vida política, social e cultural de sua comunidade, cidade ou país. 
Alunos do Ensino Fundamental do Acre
      
        








    Porém,  decifrar  o código somente,  não basta,  precisamos ensinar a  ler as entrelinhas,  o conteúdo que muitas vezes se encontra oculto nos textos. Uma simples histórinha ensina muitas vezes de forma não evidente,  valores, princípios ou conceitos antiquados, carregados de preconceitos.  A escola precisa estar atenta ao que está lendo para suas crianças. Histórias, músicas e  poemas   precisam ser analisados antes de irem para as rotinas didáticas, se é que queremos fazer uma educação diferente. Se não puder trocar,  pode-se fazer a discussão crítica dos textos, com os alunos.


   Uma boa aquisição da leitura e da escrita pode mudar a vida de uma criança. Gostar de ler e de escrever pode ser um refúgio ou uma forma de conhecer o mundo,  sem  mesmo sair da pobreza em que vivem. O mundo fantástico dos variados gêneros textuais, através  das histórias, lendas, contos, crônicas, notícias,  e informações variadas  enfeitarão a vida dessas crianças. Darão fantasia e entusiasmo,  com muitos momentos inesquecíveis de felicidade.  Podendo se constituir no futuro,  um dos  meios de melhorar a qualidade de vida  desses alunos,  através da ascensão social, de uma  forma muito digna.


   Mas,  para que isso se efetue na prática, nós educadores precisamos estudar mais, encontrar novas formas e caminhos para fazer as crianças gostarem de aprender. Evitar as formas mecânicas de ensinar, dar um sentido afetivo a leitura e a escrita na escola. É necessário embarcar na fantasia das crianças. "Pertencer" a esse mundo infantil, "ser criança",  junto com elas, por algumas horas do dia. Desprender-se um pouco da hierarquia de ser professor. 

    Rosa Maria  Torres educadora, linguista, jornalista, ativista social e consultora internacional sobre educação escreveu em seu blog:

http://otra-educacion.blogspot.com.br/2014/12/leer-por-el-gusto-de-leer-la-clave.html

 "Não se trata apenas de ensinar e aprender a ler. Este é ler. E ler com facilidade. 
"Este não é apenas para ler. É também sobre a escrita. E eu faço, também, de bom grado. 
"Para ensinar a ler não só tem que saber ler e aprender a ensinar a ler; você tem que ler.  
"Para ensinar a escrever não só tem que saber escrever e saber ensinar a escrever; você deve escrever.
"Este não é apenas ensinar a ler, mas motivar para a leitura e para criar condições para a leitura independente. "

   E como os pais devem ser parceiros no  processo educativo,  precisamos convidá-los a participar.  Tenho dito a eles: leiam  histórias para seus filhos; perguntem como foi o dia  na escola; brinquem de escola com eles; peçam que sejam seu professor por alguns minutos; tirem pelo menos meia ou uma hora diária  para isso. Você não estará perdendo tempo,  mas ajudando seu filho para a vida toda com esse gesto. 

 Devemos ajudar os pais a compreenderem sua importante tarefa nessa jornada. Mas para isso, é importante também o professor gostar de ler e de escrever,  para poder incentivar os pais e os seus alunos nas atividades do processo de aquisição da leitura e da escrita e principalmente, no gosto por fazê-lo.

Fácil?!... Não! Para a escola pública da periferia é um grande desafio. Existem também outros fatores que também contribuem para o fracasso dessa competência. Mas aí já seria um outro texto!

As crianças agradecem!
   No entanto,  se houver esforço, saberemos que nossas vidas  não foram em vão, que viemos aqui contribuir para um mundo melhor e mais justo.




                                                                                       Bjokas no coração!

      
     

7 comentários:

  1. Concordo com as evidências...Porque o são:)

    Mas mesmo assim...hoje há mais facilidade de acesso a cultura/leitura...verdade que é difícil pensar em ler quando se tem fome...mas comida a mais parece que também provoca aversão aos livros...

    ResponderExcluir
  2. M. Na minha opinião, o que provoca aversão nas outras classes não é comida a mais, e sim a falta de entusiasmo dos pais. Quando isso acontece, geralmente é porquê mesmo ricos, os pais estão mais preocupados com suas vidas, suas empresas, seus eventos e as crianças ficam também por conta das escolas e professores. O que importa na verdade, é o relacionamento vivo da família com a escola e valor que ela dar a leitura e a escrita. Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Concordo com as suas opiniões.
    Penso que o hábito de leitura tem que ser inculcado no seio da família.
    No caso de famílias carenciadas, que muitas vezes mal têm o que comer, não podemos exigir que o façam. Nesse caso cabe à escola (aos educadores)criar nas crianças o gosto pela leitura.

    Passarei por cá sempre que tiver um tempinho livre.
    Entretanto, desejo tudo de bom.
    Até sempre e beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Olá.

    Há nas palavras
    que ensinam,
    o maravilhoso
    sentimento
    da esperança...


    Alegrias plenas
    para ti,
    e para o mundo.

    ResponderExcluir
  5. Eu comecei a ler desde bem pequenininha por causa da minha mãe. Ela conta que eu tinha mania de sair lendo td q via pela frente na rua...rsrsrs. Bj e fk c Deus.

    ResponderExcluir
  6. Carinhosamente venho deixar um carinho para ti nessa semana que antecede o Natal .
    Uma semana de paz e luz .
    Um Feliz Natal para você familiares e amigos.
    Beijos..Evanir
    Que nossa amizade perdure no decorrer de todos os anos seguitens.

    ResponderExcluir
  7. Concordo super!!!Não é porque a gente vive uma realidade em que se consegue fácil as coisas,que para todos será assim.É triste.E não dá pra excluir o indíviduo do meio social em que se insere.E como você disse o mais experiente sai na frente.É essa acumulação de capital cultural que faz com que a gente ache que a nossa realidade é a mesma pra todos.
    Beijos e ótimo texto
    http://dreamydepernasproar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua impressão sobre a postagem. Seja sincero(a), para que eu possa crescer como escritora e poeta. Agradeço de coração sua opinião. Volte sempre. Bjs.